Povoado fortificado da Curalha / Castelo

IPA.00005945
Portugal, Vila Real, Chaves, Curalha
 
Aglomerado proto-urbano. Povoado da Época romana com ocupação medieval. Povoado fortificado / castro de planta elipsoidal, circundado por três linhas de muralhas reforçadas. As muralhas são reforçadas por um campo de pedras fincadas e existem rampas de acesso adossadas à muralha.
Número IPA Antigo: PT011703100034
 
Registo visualizado 368 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Povoado  Povoado romano  Povoado fortificado  

Descrição

Povoado de planta elipsoidal definido por três linhas de muralhas, construídas com silhares assentes em seco, em aparelho poligonal e irregular, constituídas por dois paramentos paralelos preenchidos interiormente com pedra miúda; o sistema defensivo é ainda reforçado, a NE. a N. - NE., por um campo de pedras fincadas. A primeira e a segunda linha de muralha circundam o povoado, estando bastante próximas entre si, enquanto que a terceira linha só está testemunhada a NO. num lanço com c. de 10 m de extensão. A primeira muralha, que atinge uma espessura de c. de 5 m, apresenta três portas, a N., E. e SO., tendo sido detectadas cinco rampas de acesso, enquanto que a segunda muralha apresenta uma única entrada a N. - NE.. A estrutura interna apresenta, na zona escavada, uma fiada de construções rectangulares adossadas à muralha, com a parede divisória comum, possuindo uma abertura para um arruamento, que partindo da porta E. bifurca para cada um dos lados desta, acompanhando o contorno da muralha. Este caminho, calcetado por lajes de granito, segue, para além das direcções referidas, para O., circundando, aparentemente, o maciço rochoso que coroa a estação, no qual existem vestígios de uma construção circular, que o aproveita para assentamento do alicerce. Em situação idêntica, embora a cota inferior, identificou-se outra construção, desta feita de planta rectangular. Um outro conjunto de casas, existentes na parte central do recinto, apresentam igualmente um formato rectangular com parede divisória comum, estando perfeitamente alinhadas e com porta para o mesmo lado, o que faz supôr a existência de um arruamento que as serviria. As paredes das construções apresentam dois paramentos.

Acessos

Curalha, estradão a partir do km 162 da EN 103. Gauss: M-251.3, P-526.8; Fl. 47

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, periférico, outeiro pouco pronunciado na base de encosta, junto ao Rio Tâmega, coberto com giestas e vegetação rasteira.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Privada

Afectação

Época Construção

Época romana

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

Época romana - construção do povoado; Época medieval - continuação da ocupação.

Dados Técnicos

Materiais

Muralhas e construções em granito; cobertura de construções com tegula e imbrex; arruamentos pavimentados com lajes graníticas; rampas de acesso às muralhas construídas com blocos de granito.

Bibliografia

ARGOTE, D. Jerónimo Contador de, Memórias para a História Eclesiástica do Arcebispado de Braga, Primaz das Hespanhas, tomo II, Lisboa, 1734, p. 496 - 497; VASCONCELLOS, José Leite de, Por Trás-os-Montes, O Archeologo Português, 22 (1 - 12), Lisboa, 1917, p. 22; MONTALVÃO, António, Visitas a castros nos arredores de Chaves, ed. policopiada, Chaves, 1971, p. 7 - 12; MAGALHÃES, Adolfo A., CARNEIRO JÚNIOR, Francisco e FREITAS, Adérito M., Castro da Curalha. 1ª campanha de escavações (1974), Braga, 1975; MAGALHÃES, Adolfo A., FREITAS, Adérito M. e SANTOS JÚNIOR, J. R., Castro da Curalha. Campanha de escavações, Trabalhos de Antropologia e Etnologia, 23 (1), Porto, 1977, p. 19 - 40; 23 (2 - 3), Porto, 1978, p. 267 - 277; ALMEIDA, Carlos A. Ferreira de, A propósito da Galicia Sueva de Casimiro Torres, Gallaecia, 5, Santiago de Compostela, 1979, p. 313; ESPARZA ARROYO, Angel, Nuevos castros con piedras hincadas en el borde occidental de la Meseta, in Seminário de Arqueologia do Noroeste Peninsular, vol. 2, Guimarães, 1980, p. 76, nº 15; FREITAS, Adérito M. e SANTOS JÚNIOR, J. R., Castro da Curalha. Campanha de escavações, Trabalhos de Antropologia e Etnologia, 23 (4), Porto, 1980, p. 393 - 405; 24 (1), Porto, 1981, p. 59 - 86; 24 (2), Porto, 1982, p. 265 - 291; 24 (3), Porto, 1983, p.453 - 474; 24 (4), Porto, 1984, p. 589 - 617; 25 (1), Porto, 1985, p. 5 - 29; TEIXEIRA, Ricardo e AMARAL, Paulo, Levantamento Arqueológico do Concelho de Chaves, relatórios anuais de actividades, Chaves, 1985 - 1992.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1974 / 1984 - 10 campanhas de escavações arqueológicas sob a orientação de J. R. dos Santos Júnior e Adérito M. Freitas.

Observações

A reconstituição das estruturas está assinalada com uma camada de cimento. O espólio exumado é constituído por tijolos, tegula, imbrex, cerâmica comum, sendo uma elevada percentagem de cerâmica medieval, sigillata, cossoiros, um dos quais reaproveitando um fragmento de sigillata, sigillatas claras e estampadas, vidro, contas de colar de pasta vítrea, mós manuárias rotativas, peças em bronze, escória de ferro e um conjunto de numismas do séc 04. Parte do espólio está depositado no Museu da Região Flaviense, em Chaves. As pedras fincadas estão derrubadas.

Autor e Data

Isabel Sereno e Paulo Amaral 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login