Avenida da Liberdade

IPA.00005972
Portugal, Lisboa, Lisboa, Santo António
 
Componente urbano. Eixo viário. Avenida. Avenida romântica - tipo "Boulevard". Artéria de grande circulação cujas faixas são delimitadas por placas pedonais arborizadas, pontuadas por obras de arte e elementos decorativos. Heterogeneidade arquitectónica das frentes urbanas.
Número IPA Antigo: PT031106140228
 
Registo visualizado 2049 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Elemento urbano  Eixo viário  Avenida    

Descrição

Avenida tendo o seu início na Praça dos Restauradores, a S:, e remate na rotunda da Praça Marquês de Pombal, a N.. É caracterizada pelo seu perfil transversal: 3 ruas paralelas (sendo a central dominante em dimensão e em número de sentido de tráfego), separadas por largas placas pedonais arborizadas, divididas em troços de diferente extensão devido aos cruzamentos com outras artérias e pontuadas por obras de arte e elementos decorativos. Nas placas pedonais, de S. para N., destacam-se as as figurações escultóricas dos rios Douro e Tejo, em cascatas ligadas a tanques, bem como os monumentos a Simon Bolivar (diante da Rua das Pretas), om a inscrição " Simon Bolívar - 1783 - 1830 - O libertador - Herói da Independência Sul-americana.", aos Mortos da Grande Guerra (diante da Rua do Salitre), a Rosa Araújo, sobre pedestal de cantaria, com a figura de Lisboa aos pés, a agradecer (diante da Rua Barata Salgueiro), e a Almeida Garrett, em cantaria, Alexandre Herculano, também em cantaria, Oliveira Martins e Pinheiro Chagas, um busto em bronze, ladeado por uma das suas personagens, a Morgadinha de Valflor, também em bronze, todas situadas no cruzamento com a Rua Alexandre Herculano; tem, ainda, a de António Feliciano de Castilho.

Acessos

Avenida da Liberdade

Protecção

Categoria: CIP - Conjunto de Interesse Público, Portaria n.º 385/2013, DR, 2ª série, n.º 115 de 18 junho 2013

Enquadramento

Urbano, estruturante como eixo de circulação com início na Praça dos Restauradores, a S., até à Praça Marquês de Pombal, a N. ( v. PT031106140428 )

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Não aplicável

Afectação

Não aplicável

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: Domingos Parente da Silva (1836-1901); Nicola Bigaglia (séc. 19); Pedro César Vieira de Almeida (1972-1974). ESCULTORES: Barata Feyo (1950); Costa Mota, sobrinho (1936); Costa Mota, tio (1908); Leopoldo de Almeida (1952).

Cronologia

1857 - projecto para o prolongamento da Avenida da Liberdade da autoria de Alfredo César Reis Freire de Andrade; 1870 - 1º projecto de abertura de uma avenida ligando o Passeio Público (iniciado em 1764) ao Campo Grande, da responsabilidade do Ministro das Obras Públicas, Joaquim Tomás Lobo D'Ávila; 1873 - proposta de abertura de uma avenida ligando o Passeio Público a São Sebastião (segundo um projecto do arquitecto Domingos Parente da Silva), apresentada à Câmara Municipal pelo Ministro das Obras Públicas Saraiva de Carvalho; 1877 - apresentado e aprovado na Câmara Municipal de Lisboa o anteprojecto; 1879 - José Gregório de Rosa Araújo, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, apresenta uma proposta de abertura de uma artéria idêntica à do projecto de 1870 mas de menor extensão (teria igualmente 1.276m de comprimento, 89,5m de largura mas terminaria numa rotunda com 100m de raio, da qual partiriam 4 ruas, uma delas com destino ao Campo Grande), a proposta é aprovada e o presidente empresta capital próprio para que a obra possa realizar-se; 1879 - a 24 de Agosto têm início as obras da avenida com a demolição do Teatro das Variedades e da Praça de Touros do Salitre; 1880 - início das obras do bairro Camões (partindo da Avenida para o lado de Santa Marta) em terrenos adquiridos ao conde de Redondo pelo financiador do projecto, o futuro conde de Burnay; provável intervenção do arquitecto Nicola Bigaglia; 1881 - em Dezembro é apresentado o projecto final, resultante do trabalho da Comissão Camarária dos Melhoramentos de Lisboa; 1882 - demolição de prédios fronteiros ao Passeio Público (Praça da Alegria) e início da construção de um bairro (em posição simétrica ao bairro Camões), por Barata Salgueiro; 1882 - a 11 de Novembro tem início a demolição das grades que delimitavam o Passeio Público; 1883 - demolição da cascata que rematava a N. o Passeio Público; 1886 - a 28 de Abril é inaugurada a avenida e o monumento aos Restauradores (projecto de António Tomás da Fonseca e escultura de Alberto Nunes e Simões de Almeida Tio); 1908 - feitura do busto de Pinheiro Chagas, da autoria de Costa Mota, tio, por iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa e com fundos provenientes de uma subscrição promovida pela Mala da Europa, em Portugal e no Brasil; 1914 - aprovação camarária do monumento ao Marquês de Pombal (a ser implantado na rotunda que rematava a avenida); 1931 - inauguração do monumento aos mortos da 1ª Grande Guerra (projecto dos arquitectos Rebelo de andrade e escultura de Maximiano Alves); 1936, 25 Outubro - inauguração do busto de Rosa Araújo, executado por Costa Mota, sobrinho; 1949 - inauguração da estátua de Pinheiro Chagas; 1950, 27 Maio - inauguração das esculturas de Almeida Garrett e Alexandre Herculano, executadas por Barata Feyo, por encomenda da Câmara Municipal de Lisboa; 1952, 27 Maio - inauguração das esculturas de António Feliciano de Castilho e Oliveira Martins, realizadas por Leopoldo de Almeida; 1959, 29 de Dezembro - são inauguradas as estações do metropolitano da avenida: Restauradores, Avenida e Rotunda; 1962 - projecto de polongamento da Avenida, da autoria de João Guilherme Faria da Costa; 1972-1974 - Pedro César Vieira de Almeida (1933-2011) leva a cabo estudos do plano morfológico da Avenida da Liberdade; 1978, 17 Dezembro - colocação da estátua de Simon Bolívar, oferecida, pela comunidade portuguesa da Venezuela, com a colaboração da Câmara Municipal de Lisboa; 1989, 22 Dezembro - despacho de abertura publicado em DR 293, da Secretária de Estado da Cultura concordando com a classificação como conjunto de valor nacional a zona da Avenida da Liberdade e todos os imóveis nela situados *2; 1992 - elaboração do Plano de Urbanização da Avenida da Liberdade e Zona Envolvente, arquitectos Manuel Fernandes de Sá e Francisco Barata), prevendo condições de uso e de salvaguarda; 1995 / 1996 - alterações nas últimas placas pedonais, devido à remodelação da estação do metropolitano da Rotunda; 1996, 1 Outubro - Portaria nº 529/96, DG, 1ª série-B, nº 228 de 1 de Outubro fixa o perímetro da Zona Especial de Protecção conjunta dos imóveis classificados da Avenida da Liberdade e área envolvente*1; 2012, 18 Dezembro - Anúncio n.º 13774, DR n.º 244, 2ª série, com projeto de decisão relativo à classificação como Conjunto de Interesse Público, publicado na mesma data; 2014, 18 Março - Aviso n.º 3787, DR n.º 54, 2ª série, elaboração da alteração do Plano de Urbanização da Avenida da Liberdade e Zona Envolvente.

Dados Técnicos

Não aplicável

Materiais

Não aplicável

Bibliografia

O Ocidente, nº 235, 01.07.1883; PAIS, Miguel Carlos Correia, Melhoramentos de Lisboa. Engrandecimento da Avenida da Liberdade, Lisboa, 1883; MARGIOCHI, Francisco Simões, Duas Palavras Acerca da Avenida da Liberdade, Lisboa, 1886; COLAÇO, Tomás Ribeiro, O Bairro Camões in Illustração Portugueza, II Série, nº 817, 1921; RAMALHO, Robélia de Sousa Lobo, (coord.), Guia de Portugal Artístico. Lisboa, vol. I, Lisboa, 1931; FREIRE, João Paulo, Lisboa do Meu Tempo e do Passado, vol. II, Lisboa, 1932; CASTILHO, Júlio de Lisboa Antiga. Bairros Orientais, vol. X, Lisboa, 1937; SILVA, A. Vieira da, Exposição Comemorativa do Cinquentenário do Falecimento de Rosa Araújo, Lisboa 1943; 15 Anos de Obras Públicas (1932 - 1947), Lisboa, 1949; COSTA, Mário, O Bairro Camões in Olisipo, nº 90, 1960; CÂNCIO, Francisco, Lisboa no Tempo do Passeio Público, vol. II, Lisboa, 1963; SEQUEIRA, Gustavo Matos, Depois do Terramoto. Subsídios para a História dos Bairros Ocidentais de Lisboa, vol. 1, Lisboa, 1967; MARQUES, Maria da Conceição de Oliveira, Introdução ao Estudo do Desenvolvimento Urbano de Lisboa, 1879-1938, in Arquitectura, 3ª série, nº 112 e ss., 1969; FRANÇA, José-Augusto, A Arte em Portugal no Século XIX, vol. II, Lisboa, 1966; RODRIGUES, Maria João Madeira, Tradição, Transição e Mudança. A Produção do Espaço Urbano na Lisboa Oitocentista, Lisboa, 1978; FERREIRA, Rafael Laborde, VIEIRA, Victor Manuel Lopes, Estatuária de Lisboa, Lisboa, Amigos do Livro, Lda., 1985; FERNANDES, José Manuel, Lisboa, Arquitectura e Património, Lisboa, 1989; FRANÇA, José-Augusto, SILVA, Raquel Henriques da, FERNANDES, José Manuel, Lisboa de Frederico Ressano Garcia 1874-1909, (catálogo de exposição), Lisboa, 1989; DIAS, Marina Tavares, Lisboa Desaparecida, vol. 3, Lisboa, 1992; PEDREIRINHO, José Manuel, Dicionário de arquitectos activos em Portugal do Séc. I à actualidade, Porto, Edições Afrontamento, 1994; SILVA, Raquel Henriques da, O Passeio Público e a Avenida da Liberdade in MOITA, Irisalva, (dir.), O Livro de Lisboa, Lisboa, 1994; CONSIGLIERI, Carlos, RIBEIRO, Filomena, VARGAS, José Manuel, ABEL, Marília, Pelas Freguesias de Lisboa. De Campo de Ourique à Avenida, Lisboa, 1995; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/71712 [consultado em 11 janeiro 2017].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1995 / 1996 - alterações nas últimas placas pedonais a N., devido à remodelação da estação de metropolitano da Rotunda.

Observações

*1 Imóveis classificados da Avenida da Liberdade e área envolvente: Edifício da Estação do Rossio, Hotel Avenida Palace, Palácio dos Condes de Almada, Teatro Eden, Palácio Foz, Conjunto de edifícios na Rua de São José nºs 106-110, Conjunto da Igreja de São José dos Carpinteiros e edifícios anexos, Edifício na Rua de São José nºs 189-193, Hotel Vitória, Teatro Capitólio, Edifício da Rua de Santa Marta nº 19, Edifícios na Rua de Santa Marta, nºs 44-48, Igreja do Convento de Santa Marta, Palácio dos Condes de Redondo, Edifício do Diário de Notícias, Auto-Palace, Edifício na Rua Alexandre Herculano nº 57, Picadeiro do antigo Colégio dos Nobres, Igreja de São Roque, Palácio Bramão ou Seia. * 2 - Avenida da Liberdade e todos os imóveis nela situados, nomeadamente os seguintes: Avenida da Liberdade nºs 270, 262, 252, 240, 238, 236, 234, 232, 224, 220, 206 a 218, 200, 198, 190, 176 a 180, 166, 164, 142, 138 e 140, 136, 114 a 134, 110, 104, 92 a 100, 84 a 90, 28 a 34, 22 a 26, 16 a 20, 12, Cinema Condes, 1a 7, 11, 13, 15, 27 a 41, 49 a 57, 59 e 61, 65, 67, 69, 71 a 79, 81 a 89, 103 a 117, 129, 131 a 151, 157, 161 a 173, 177, 189, 193, 211 a 219, 229, 231 a 237, 235, 241 a 243, 245 e 247, Praça dos Restauradores - todos os imóveis, Rua do Jardim do Regedor - nºs 41 a 51, Rua do Salitre, nºs 1a 5.

Autor e Data

Teresa Vale e Carlos Gomes 1996

Actualização

Cecília Matias 1999
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login